Eleição 2014

Eleição 2014

28/11/2013

Atualizado em 28/11/2013 08h15 Em depoimento, piloto admite ter descarregado helicóptero com droga

Ele também disse à polícia que sabia que material transportado era “ilícito”.
Pelo valor que receberia, afirmou que imaginava que carga era droga.

Do G1 MG
Helicóptero apreendido no Espírito Santo é de empresa da família do senador Zezé Perrella (Foto: Reprodução/TV Gazeta) 
Helicóptero apreendido no Espírito Santo é de
empresa da família do senador Zezé Perrella
(Foto: Reprodução/TV Gazeta)
O piloto Rogério Almeida Antunes, preso no Espírito Santo por conduzir um helicóptero com mais de 400 quilos de cocaína, admitiu em depoimento prestado à Polícia Federal que ajudou a descarregar a droga da aeronave. Antunes era contratado por uma empresa de propriedade do deputado estadual Gustavo Perrella (SDD-MG) e funcionário da Assembleia Legislativa de Minas Gerais. Depois da prisão, ele foi demitido da empresa do parlamentar e exonerado do Legislativo mineiro.

No depoimento, ao qual o G1 teve acesso, ele revelou ainda que recebeu uma mensagem de outro piloto, que estava no voo que levou a cocaína, pedindo ajuda para transportar um “ilícito”. À policia, ele disse que não perguntou do que se tratava o material.

No relato, ele também afirmou que iria receber R$ 106 mil, mais as despesas da aeronave, pelo transporte e que, pelo valor, imaginava que o material fosse droga. Antunes ainda relatou que a família Perrella não tinha conhecimento do transporte da cocaína, mas que era autorizado a fazer fretes, ao preço de R$ 2 mil a hora.

Nesta noite, o G1 tentou entrar em contato com o defensor do piloto, mas as ligações não foram atendidas. Já o advogado de Perrella afirmou, nesta manhã, que o cliente sabia do fretamento, mas não o que seria transportado.


Deputado é convocado a depor
A Polícia Federal no Espírito Santo expediu, nesta quarta-feira (27), carta precatória convocando a presença do deputado de Minas Gerais Gustavo Perrella e dos outros dois sócios da empresa dele, para prestar esclarecimentos sobre os mais de 400 quilos de cocaína que foram encontrados em uma aeronave da família, no estado capixaba.
De acordo com o delegado da PF Leonardo Damasceno, o pedido é para que o deputado e a irmã, Carolina Perrella,  sejam ouvidos como testemunhas, em Belo Horizonte. O terceiro sócio, André Almeida, deverá ser ouvido, em Divinópolis, no Centro-Oeste mineiro.

Defesa diz que deputado mentiu
A defesa do piloto afirma que Perella mentiu sobre a autorização para o voo. Segundo o advogado Nicácio Tiradentes, o deputado tinha conhecimento do frete, mas não do material transportado. Em coletiva na segunda-feira (25), Gustavo Perrella afirmou que o funcionário não tinha autorização para fazer o voo, e que a aeronave estaria em revisão no período.

Exoneração
Funcionário da ALMG, Rogério Almeida Antunes teve a exoneração publicada nesta quarta, com data retroativa à segunda-feira (25). Ele trabalhava na Casa em um cargo indicado pelo deputado estadual. Antunes foi nomeado no dia 12 de março deste ano para ocupar o cargo de agente de serviços de gabinete I e recebia um salário mensal de R$ 829,67, mais R$ 400 em vale-alimentação e R$ 200 em vale-transporte. Ele estava em uma vaga da 3ª Secretaria, de onde o deputado estadual Alencar da Silveira Júnior (PDT) é presidente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário