Eleição 2014

Eleição 2014

30/03/2011

A MORTE DE JOSÉ ALENCAR: UMA LUTA CONTRA UMA DOENÇA IMPLACAVEL E UM EXEMPLO DE VIDA A SER SEGUIDO

Origem: CLÁUDIO CASSIMIRO DIAS – CABO PM (PMMG)
Morre Jose de Alencar, homem exemplar que veio da roça e construiu um patrimônio no setor têxtil. Morre uma pessoa que serviu de exemplo e guia para muitas outras pessoas acometidas de doenças terminais.

Muitas vezes nos entregamos no primeiro desafio. Mas, José de Alencar persistiu e insistiu pela vida.

“Se Deus quiser me levar, não precisa de um câncer para me levar. Mas, se Deus não quiser me levar, não será um câncer que me levará.” (José de Alencar)

Nosso estimado Vice Presidente José de Alencar transcende a um plano, por nós desconhecido, porem, deixa sua força e determinação como exemplo de vida para todos nós.

Portador de câncer, o que pode ocorrer com qualquer um de nós, José Alencar sobreviveu, cresceu e chegou a ser, a convite do Presidente Lula, nosso Vice Presidente do Brasil.

Nessa tarde de terça feira, dia 29 de março de 2011 recebemos entristecidos a noticia da morte de José de Alencar.

Muitos podem ter uma doença grave, mesmo estando vivendo de maneira a buscar a felicidade. Podemos ter em nossa família entes queridos doentes, em casa, internados ou mesmo em estado terminal. José de Alencar, mesmo ocupando um alto cargo em nosso país lutou pela vida, enquanto pode, enquanto Deus permitiu.

Em alguns momentos José de Alencar discordou de Lula e mesmo de algumas ações políticas, pois usou naqueles momentos o homem administrador e seu lado humano inerente ao seres humanos, porem esquecido por muitos que detem o poder.

Humildade, uma palavra chave, que completa o homem público, mas, infelizmente muitos poderosos preferem se esquecer dos que estão menos favorecidos socialmente. José de Alencar não se esqueceu.

Faço aqui esse breve comentário, por pensar que José de Alencar serve e servirá de exemplo para todos nós.


* CLAUDIO CASSIMIRO DIAS, Cabo PM, Poeta e escritor, Especialista (Latu Sensu) em Criminologia, Bacharel em Direito, Bacharel em Historia, Acadêmico Efetivo Curricular da Academia de Letras João Guimarães Rosa da Policia Militar de Minas Gerais, Cadeira 28, Ex-Diretor Jurídico do CSCS/PMBMMG, Membro da Equipe Jurídica da ASCOBOM, Conselheiro do CEPREV/MG, Pesquisador da Historia Militar e palestrante.

BREVE ARTIGO PARA REFLERTIRMOS UM POUCO O PORQUÊ NOS ÚLTIMOS DIAS ESTÃO EXONERANDO TANTOS CHEFES E COMANDANTES.

COMO PROPRIENTÁRIO DO BLOG E MILITAR ESTAREI DIRECIONANDO DO COMANDANTE GERAL DA PMMG AO COMANDANTE DE DESTACAMENTO.

Quando estava no curso tecnico de segurança pública que todos nós MILITARES conhecemos tivemos aulas de CHEFIA e LIDERANÇA sendo essa na maioria ministrada por um OFICIAL da PMMG,motivo? Não sei.Mas entendo que foram treinados para ser chefe.Pois então como é sabido de todos nos últimos dias o que vivenciamos de CHEFES e COMANDANTES sendo exonerados dos cargos é de surpriender,isso no ponto de vista crítico lógico,mas o blogueiro aqui não tem nenhum curso superior e nem mestrado ou doutorado em NADA,mas cabe aqui resaltar que não precisamos ter nada disso para entender que hoje é a sim o bom exemplo tem que partir de CIMA ou alguem ficaria satisfeito de ser punido por um superior sem escrúpulo nenhum para tal?,vou citar aqui o caso de BH do BPM ROTAM alguem ouviu o COMANDANTE GERAL dando alguma entrevista coletiva para que a mídia soubesse diferenciar o joio do trigo?

Se eu pedisse para cada leitor do blog contar uma situação negativa sobre alguns COMANDANTES-CHEFES que já teve ou ouviu de algum amigo, provavelmente teríamos uma coleção de histórias pra lá de interessantes. Quase todo mundo já teve experiências ruins com seus superiores; comandantes autoritários, opressores, mal-educados, pouco profissionais ou despreparados para o cargo. Infelizmente, a proporção de chefes que apresentam uma ou mais dessas características ainda é alta.

DIFERENÇA ENTRE CHEFES E LÍDERES

Eu não sei de tudo. [ 3 tendências que explicam isso: Chefes são como qualquer pessoa,se acham mais do que são; Chefes naturalmente deixam de ouvir seus subordinados; Chefes estão por fora da realidade.]

Meu sucesso — e do meu pessoal – depende amplamente de administrar coisas da vida. Às vezes você não tem a impressão que COMANDANTES são como robôs tentando aplicar conceitos e métodos do curso ? Grandes líderes mostram que a diferença está nos aspectos humanos da sua gestão. Algo que nenhum curso vai lhe ensinar.

Ter ambição e metas bem-definidas é importante, mas é inútil pensar demasiadamente nelas. Meu trabalho é focar nas pequenas vitórias que ajudem minha equipe a fazer pequenos progressos a cada dia.

Uma das mais importantes, e difíceis, partes do meu trabalho é atingir o frágil equilíbrio entre ser muito confiante e não ser confiante o suficiente.

Meu trabalho é agir como um escudo-humano, protegendo meu pessoal de instrusos, distrações e bobagens de qualquer espécie — e também evitar impor minhas próprias bobagens.

Esforçarei-me para ser confiante o suficiente para convencer as pessoas de que eu estou no comando, mas humilde o suficiente para perceber que de vez em quando eu estou errado.

Eu busco lutar como se eu estivesse certo, e ouvir como se eu estivesse errado. E ensinar o meu pessoal a mesma coisa.

Um dos melhores testes da minha liderança é: o que acontece depois que uma pessoa comete um erro?

Inovação é crucial em qualquer equipe. Então, meu trabalho é encorajar meu pessoal a criar e testar várias ideias novas. Mas é também o meu trabalho ajudá-los a matar todas as ideias ruins que geramos, e parte das boas também.

O mau é mais forte que o bom. É mais importante eliminar o negativo do que acentuar o positivo.

Como eu faço as coisas é tão importante como o que eu faço.

Pelo fato de eu possuir certos poderes sobre os outros, eu tenho grandes chances de agir como um idiota insensível — e não perceber isso.

Agora que você já sabe a diferença entre CHEFIA e LIDERANÇA, ficou fácil diferenciá-los. (Isso também vale para uma auto-reflexão.)

AUTOR: ADMINISTRADOR DO BLOG NOTICIA DA CASERNA

28/03/2011

Delegados fazem paralisação nesta segunda-feira

A expectativa é de que 200 delegados de todo o Estado participem de uma panfletagem com as exigências da categoria

Amanda Paixão - Repórter - 28/03/2011 - 10:33

Delegados da Polícia Civil realizam paralisação nesta segunda-feira (28) reivindicando melhores condições de trabalho e aumento salárial. Cerca de 40 já estão reunidos na sede do Sindicato dos Delegados de Polícia de Minas Gerais (Sindepominas) e de lá seguem para o Palácio das Artes, no Centro de Belo Horizonte, onde a presidente Dilma Roussef fará o lançamento do programa Rede Cegonha.

Por causa do trânsito congestionado e da aglomeração de pessoas que aguardam a chegada da presidente, o local de manifestação pode ser alterado. A expectativa é de que 200 delegados de todo o Estado participem de uma panfletagem com as exigências da categoria.

Visita de Dilma tumultua trânsito no Centro de BH

O esquema feito para receber Dilma
atrapalhou o trânsito no Centro de BH

Solenidade de lançamento da "Rede Cegonha" será no Palácio das Artes, fechou até calçada para pedestres

A visita da presidente Dilma Rousseff ao Palácio das Artes deixa o tráfego bastante lento no Centro de Belo Horizonte na manhã desta segunda-feira (28). A preparação para a chegada da mandatária influencia até o tráfego de pedestres.

Segundo a BHTrans, um esquema ao redor do Palácio das Artes interdita parte das vias. Na Avenida Carandaí, próximo à Avenida Afonso Pena, duas faixas estão interditadas - os carros trafegam em apenas uma via. Até a calçada está fechada e os pedestres precisam pegar rotas alternativas.

A Avenida Afonso Pena também está parcialmente interditada. Uma faixa em direção à Rodoviária de Belo Horizonte está fechada (foto). O esquema deixa o trânsito lento principalmente na Avenida dos Andradas, o que reflete na região da Praça da Estação, na Região Hospitalar e no Bairro Floresta, Região Leste de Belo Horizonte.

A BHTrans e o Batalhão de Trânsito da Polícia Militar, que participam da organização para a chegada da Dilma, informaram ainda que não há previsão para a liberação das vias.

27/03/2011

Dia D de mobilização nacional. Agora ou nunca!

Companheiros, agora com o Congresso retomando os trabalhos, precisamos dar continuidade as nossas mobilizações em prol da aprovação da PEC 300.

Precisamos estabelecer uma data para mobilização nacional, fazer contato com as associações que realmente estão do nosso lado, estabelecer o número de ônibus para as caravanas com antecedência, bem como as atividades que iremos desenvolver em Brasília. Precisamos planejar para que alcancemos nossos objetivos.

Façam contato com suas associações para custearem o aluguel de pelo menos 1 ônibus por estado. Pode haver a composição de 2, 3 ou mais associações para ratear o valor da locação.

Enviem para o email: fernando.almansa@yahoo.com.br a relação das associações com o nome do responsável, telefone e email.

Presidente do TSE defende consulta popular sobre reforma política

O presidente do TSE, Ricardo Lewandowski nesta

sexta-feira (Foto: Iara Lemos/G1)
Referendo ou plebiscito seriam opções, disse Ricardo Lewandowski.

Duas comissões no Congresso discutem propostas para projeto.
 
O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Ricardo Lewandowski, defendeu nesta sexta-feira (25) que um projeto de reforma política seja submetido a referendo ou plebiscito. Atualmente, duas comissões no Congresso – na Câmara e no Senado – discutem propostas para um futuro projeto de reforma.

“A reforma política é de responsabilidade do Congresso, mas seria desejável que passasse pelo crivo de uma consulta popular. Ou um referendo ou um plebiscito. Em menos de uma hora teríamos o resultado”, afirmou durante evento na Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), em Brasília.

26/03/2011

Militares 'fingem' ser policiais civis em delegacia do Barreiro

Três policiais militares são suspeitos de se passarem por policiais civis para tentar extorquir dois jovens presos por porte ilegal de armas. O caso teria ocorrido na madrugada desta sexta-feira (25), na 1ª delegacia regional do Barreiro. A denúncia foi feita pelo Sindicato dos Servidores da Polícia Civil de Minas Gerais (Sindpol/MG).

Conforme denunciado pelo sindicato, os dois jovens foram interrogados e fotografados pelos militares, sem o conhecimento dos policiais civis titulares do plantão. Os dois teriam questionado os suspeitos a respeito de outros crimes e se identificaram como policiais civis para extorquir os rapazes, sob a ameaça de que eles seriam indiciados por delitos mais graves, caso não "colaborassem".

O inspetor do plantão teria interrompido o trio e questionado o que estava acontecendo. Ainda conforme a denúncia, eles teriam se recusado a mostrar identificação formal ao inspetor. Um tenente teria defendido os militares, dizendo que eles estavam sob seu comando e que não deviam satisfação e obediência a outra autoridade. O oficial teria dito ainda que o procedimento aplicado era "normal". Os militares foram identificados como membros da guarnição P2, serviço de inteligência da Polícia Militar.

Procurado pela reportagem, o diretor do sindicato, Denilson Martins, informou que encaminhou o caso para a corregedoria da Polícia Militar nesta sexta-freira. O responsável pela comunicação da Polícia Militar, tenente-coronel Alberto Luiz Alves, e a assessoria da Secretaria de Estado de Defesa social (Seds) informaram que não vão comentar o caso e que a denúncia deve ser remetida e tratada exclusivamente pela corregedoria da PM. A reportagem tentou, sem sucesso, entrar em contato com a corregedoria da PM na noite desta sexta-feira.

Origem: Jornal O Tempo

23/03/2011

AGLOMERADO - Militares vão à Justiça comum

Os soldados Jason Ferreira Paschoalino e Jonas David Rosa, do Batalhão de Rondas Táticas Metropolitanas (Rotam), vão responder na Justiça comum pelos assassinatos do auxiliar de enfermagem Renilson Veriano da Silva, de 39 anos, e do sobrinho dele Jeferson Coelho da Silva, de 17. O Ministério Público Estadual decidiu ontem denunciar os dois acusados à Justiça Militar apenas pelos crimes de falsidade ideológica e prevaricação. Jason também pode responder por ameaça. O crime foi na madrugada de 19 de fevereiro, no Aglomerado da Serra, Zona Sul da capital. Os dois foram mortos a tiros pelos PMs, que simularam um confronto.

Na denúncia feita ontem pelo promotor da Auditoria Militar, Carlos Alberto Isoldi, mais dois militares – o tenente Clayton José de Santana e o sargento Giando Gomes de Lemos – vão responder pelos mesmos crimes. Eles chegaram no local depois dos assassinatos, mas, segundo as investigações, participaram da farsa para encobrir o crime. Na ocasião, os PMs apresentaram duas fardas, que seriam de Jason, e dois revólveres, para sustentar a versão de que um grupo de bandidos, que se passava por militares, trocou tiros com os integrantes da guarnição Rotam 15.654.

O soldado Adelmo Felipe de Paula Zuccheratte, que dirigia a viatura, foi denunciado apenas por prevaricação, já que não teve participação direta. O quarto policial integrante da guarnição, o cabo Fábio de Oliveira, teve extinta a punibilidade ainda na fase de inquérito, já que foi encontrado morto dentro de uma cela do 1º Batalhão da PM, dois dias depois da decretação de sua prisão preventiva. Mais oito soldados, que também foram indiciados por prevaricação, não foram denunciados. Porém, o promotor Carlos Isoldi informou que analisa as fichas de cada um, para uma possível denúncia vislumbrando uma transação penal.

Os assassinatos de Jeferson Silva e Renilson Veriano foram motivos de protestos no Aglomerado da Serra, com queima de ônibus e confrontos entre moradores e policiais militares. Jeferson, filho de um cabo da Polícia Militar, era dançarino de um grupo de jovens. A tentativa de ligar seu nome e de seu tio a grupos criminosos casou revolta entre a comunidade, que denunciou ações truculentas de PMs da Rotam. Testemunhas acusaram os militares do duplo homicídio e de extorquirem traficantes. Segundo disseram, tio e sobrinho foram mortos depois que criminosos da área se recusaram a dar propina aos policiais da Rotam.

Origem: Jornal estado de Minas

"Don Juan" pede perdão às mulheres

Da mulher oficial do militar "Don
Juan" (detalhe na foto), as cinco
amantes ouviram que elas "não eram
as primeiras, nem seriam as últimas"
Militar manda e-mail emocionado às ex-companheiras dizendo que busca o "entendimento religioso" para o erro

Arrependido e disposto a reparar o "erro", o policial militar acusado de, mesmo casado, manter relacionamentos amorosos simultâneos com cinco mulheres e ainda dar um golpe financeiro em duas delas, agora busca o perdão. Depois de ter sido desmascarado pelas amantes, que decidiram processá-lo por danos morais e materiais, o militar Gilberto Lima Tregelas, o cabo Lima, de 46 anos, lotado no Batalhão de Rondas Táticas Metropolitanas (Rotam), em Belo Horizonte, voltou a ligar ontem para elas, insistindo no perdão. Duas das mulheres traídas confirmaram que falaram com o agora ex-namorado, por telefone. Ambas, no entanto, disseram que não aceitaram os pedidos de desculpas.

Origem: Jornal Super

AMEAÇA DE GREVE - Delegados mineiros pedem 40% de aumento

Responsáveis pela condução de investigações dos mais variados tipos de crimes, os delegados mineiros podem decidir entrar em greve, por tempo indeterminado, no próximo dia 7 de abril. Ontem, em assembleia no Sindicato dos Delegados de Polícia de Minas Gerais, 200 servidores da categoria decidiram fazer uma paralisação de advertência na próxima segunda-feira, dia 28. De acordo com o presidente do Sindicato dos Delegados da Polícia de Minas Gerais, Édson José Pereira, o estado paga o segundo pior salário para delegados em todo o país. O piso da categoria, no Estado, é de R$5.800. "Só o governo do Pará paga menos que o mineiro. Lá o piso é de pouco mais de R$4mil. No Rio de Janeiro o piso é de R$17 mil", afirmou. Segundo o sindicalista, existem hoje mais de 500 municípios mineiros sem delegados. Isso faz com que um profissional seja responsável pelas investigações de até nove municípios.

22/03/2011

AGLOMERADO DA SERRA - Moradores querem mudanças na PM

Um mês após a morte do adolescente Jeferson Coelho da Silva, de 17 anos e de seu tio, Renilson Veriano da Silva, de 39 anos, os moradores do Aglomerado da Serra exigem mais mudanças no relacionamento entre população e Polícia Militar. O líder comunitário Antônio João Souza disse acreditar que os protestos feitos pela comunidade - que queimou ônibus e enfrentou a polícia após as mortes - pressionaram o governo a adotar medidas enérgicas para punir os responsáveis. "Acredito que se continuarmos atentos conseguiremos mais respeito dos militares", disse.

Palavras do Blog: esse lider comunitário é muito inteligente, esta no lugar certo e sabe falar a coisa certa. Quem será que colocou ele no cargo, os modadores do lugar ou os donos (traficantes). Deixa de ser trouxa senhor Antonio João, desde quando que para convecer o governo a promover qualquer mudança em uma organização tem que se colocar fogo em ônibus e tacar pedra na polícia? qual foi a escola que você estudou? colocar fogo em bens públicos é crime, enfrentar a polícia é desacato. Porque que em vez de você dar uma entrevista bossal dessa ao jornal, você não ensida bons modos e fala para eles que quando eles encendeiam um ônibus é um ônibus a menos para servi-los, quando eles machucam um PM com uma pedrada será um PM a menos para protege-los. Se os PMs acusados cometeram crime no aglomerado, os moradores liderados por esse lider e é claro por traficantes também cometeram crime de danos e como tal tem que serem punidos nas conformidade da lei, asssim como os acusados da morte do aglomerado, o cometimento de um crime não é justificativa ao cometimento de outro crime.

21/03/2011

Dinheiro público - Investigação em marcha lenta

Além do processo na
Câmara, deputado João
Magalhães é alvo de investigação
no STF e responde a 28 ações na
Justiça Federal
Processo que apura envolvimento do deputado João Magalhães em esquema de desvio de verbas federais está há mais de dois anos parado na corregedoria da Câmara dos Deputados

Alessandra Mello - Estado de Minas

O deputado federal João Magalhães (PMDB) parece ter um santo forte. Alvo de denúncias de envolvimento com esquema de venda de emendas parlamentares, o parlamentar saiu mais uma vez ileso de um processo na Corregedoria da Câmara dos Deputados, que atualmente ameaça rigor no caso da deputada Jaqueline Roriz (PMN-DF), flagrada em vídeo recebendo um pacote de dinheiro de Durval Barbosa, pivô do escândalo que derrubou José Arruda do posto de governador do DF ano passado. Entra corregedor, sai corregedor e o processo contra o deputado mineiro que tramita há mais de dois anos, não tem desfecho. Atualmente, ninguém na corregedoria sabe informar em que pé está o procedimento aberto contra ele depois que policiais federais estiveram em seu gabinete em Brasília fazendo busca e apreensão de documentos e computadores, em junho de 2008. Segundo apurou a reportagem, ele foi arquivado por causa do fim da legislatura, sem relatório final.

A assessoria do corregedor Eduardo da Fonte (PP-PE) disse não ter condições de informar a situação do procedimento. A alegação é que o deputado assumiu recentemente o posto e sua assessoria está fazendo um levantamento de todos os processos em tramitação na corregedoria e a situação de cada um deles, que deve ser concluído até sexta-feira.

Escuta ambiental feita pela Polícia Federal flagrou a mulher do deputado, Renata Magalhães, recebendo propina de um dos principais lobistas acusados pela Operação João de Barro, João Carlos Carvalho. O dinheiro, segundo a PF, que também grampeou conversas do deputado com João Carlos, seria um adiantamento de valores desviados de emendas destinadas a prefeituras mineiras para a realização de obras de infraestrutura. Os três são alvo de um inquérito sigiloso que tramita no Supremo Tribunal Federal desde novembro de 2008, sem decisão final.

Além desse procedimento, o deputado também é alvo de uma outra investigação na corte superior, também por causa de denúncias de venda de emendas parlamentares, que tinha como pivô a Construtora Ponto Alto. Esse inquérito tramita desde setembro de 2006 e quase cinco anos depois ainda não tem sentença final.

O ministro Gilmar Mendes é o relator dos dois inquéritos, que já somam diversas pastas, mas nenhuma decisão. Um deles, que envolve a escuta ambiental, está concluso para Mendes desde dezembro do ano passado. A última movimentação do mais antigo, iniciado em 2006, é de fevereiro deste ano. Nos dois, o deputado e sua mulher são defendidos pelo advogado Marcelo Luiz Ávila de Bessa, que não retornou o pedido de entrevista deixado pela reportagem em seu escritório em Brasília.

Desculpas Na legislatura passada, os dois corregedores, Inocêncio de Oliveira (PR-PE) e Rodrigo Maia (DEM-RJ), não tocaram o procedimento, alegando não ter informações suficientes em função da recusa do STF em enviar cópia dos inquéritos contra João Magalhães em função do sigilo. Os relatores do caso na época, Nelson Trad (PMDB-MS ) e a ex-deputada Iriny Lopes (PT-SC), também deram a mesma desculpa para não apresentar parecer final para o procedimento. O deputado, que também responde a 28 ações na primeira instância da Justiça Federal pelos mesmos motivos dos dois inquéritos em tramitação no STF, alega inocência e nega que as escutas ambientais revelem recebimento ou negociação de propina.

Na legislatura de 2003 a 2006, o deputado foi alvo de uma investigação no Conselho de Ética, acusado de envolvimento com o esquema da máfia das ambulâncias. Em depoimento à PF, o empresário Darci Vedoin, dono da Planam, empresa de ambulância que comandava as fraudes, disse que chegou a pagar R$ 42 mil de propina para o deputado Magalhães. Afirmou ainda que eles tinham um acordo e que o deputado recebia um percentual em cada uma de suas emendas para a compra de unidades móveis de saúde. Um processo contra Magalhães chegou a ser aberto no Conselho de Ética, mas nada ocorreu, pois seu mandato terminou sem que fosse apresentado um parecer final. Com o término da legislatura, ele também foi arquivado e o deputado, que exerce seu quarto mandato, se reelegeu.

Entenda o caso

A Operação João-de-barro foi deflagrada em sete estados pela Polícia Federal em 20 de junho de 2008. Cerca de 1 mil agentes federais foram mobilizados para cumprir 38 mandados de prisão temporária e 231 de busca e apreensão em 119 cidades, sendo 114 em Minas. Um dos principais acusados de envolvimento com as fraudes é o deputado João Magalhães (PMDB).

Magalhães é acusado pelo Ministério Público Federal em ações de improbidade administrativa por fraude em licitação envolvendo emendas parlamentares destinadas à construção de obras em prefeituras do Leste de Minas. Segundo a investigação, o lobista João Carlos de Carvalho fazia intermediação das licitações entre empresários e órgãos públicos.

Um dos mandados de busca e apreensão é cumprido em Brasília, no gabinete de João Magalhães, onde policiais recolheram documentos e computadores. Uma das provas de envolvimento do deputado com o esquema foi gravada seis meses antes, em dezembro de 2007, no escritório de João Carlos Carvalho, no Bairro Santo Agostinho, na Região Centro-Sul de Belo Horizonte.

Na tarde de 10 de dezembro de 2007, escuta autorizada pela Justiça registra a mulher de João Magalhães, Renata, recebendo a propina do lobista João Carlos Carvalho para o deputado. O áudio chega a captar o barulho das notas de real sendo guardadas pela mulher do parlamentar em sua bolsa.

Renata já chega orientada ao escritório. “A gente coloca na sacola aqui”, diz ao lobista, que responde: “Na rua ninguém vai imaginar que tem dinheiro”.

Na manhã daquele dia, o lobista telefona para o deputado, a fim de combinar o repasse do dinheiro. O parlamentar avisa ao lobista que não poderia passar no escritório dele. “Vou pedir à Renata para passar aí”, afirma. “Duas da tarde, certo?”, combina o lobista. “Sem problemas”, resume o parlamentar, encerrando a ligação.

Presos suspeitos de matar policial em Ribeirão das Neves

Somente no domingo dois policiais militares foram mortos em BH e Região Metropolitana. Chegaram a quatro o número de homicídios contra militares em menos de uma semana

Luana Cruz -

Foram presos na manhã desta segunda-feira dois suspeitos de matar um policial na noite de domingo no Bairro Santa Martinha, em Ribeirão das Neves, Região Metropolitana de BH. Janderson Senhoreli da Silva, de 19 anos, foi preso em casa, onde foi encontrada uma bermuda suja de sangue. Newton Alves do Santos, 20 anos, também foi preso, ele é ex-namorado da noiva do militar. Os dois foram levados para a 10ª Seccional.

Segundo a PM, as motivações do crime ainda não foram esclarecidas, mas há suspeitas de que os criminosos tenham confundido o militar com um traficante da região. Outra hipótese é crime passional, pois um dos suspeitos é ex-namorado da noiva do cabo.

Na noite de domingo o cabo, lotado no 34º Batalhão, chegava na casa da noiva quando foi surpreendido por homens armados. Os suspeitos estavam numa moto e atiraram no militar. Ele foi atingido pelos disparos e morreu antes de ser socorrido. Uma operação foi montada para encontrar os suspeitos. O Batalhão Rotam, com apoio de helicópteros e diversos militares do 40º Batalhão, fez rastreamentos no local para prender os suspeitos.

O militar é velado na manhã desta segunda-feira no Cemitério da Consolação, no Bairro Jaqueline, Região Norte da capital.

Saiba mais...

Policial é morto em suposta tentativa de assalto no Barreiro

Militar reformado morre baleado ao reagir a assalto em Contagem

Trio é detido depois de roubar dois carros em Contagem Somente no domingo dois policiais militares foram mortos em BH e Região Metropolitana. Além do cabo baleado em Neves, um agente reformado foi encontrado carbonizado dentro do próprio carro, no Bairro Enseada das Garças, na Pampulha. Com essas duas mortes chegaram a quatro o número de homicídios contra militares em menos de uma semana. Os outros dois foram mortos a tiros durante assaltos.

Mãe e filho presos

Serão apresentados às 10h desta segunda-feira no Departamento de Investigações de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP) a companheira e o enteado do cabo reformado da PM Guilhermino Aparecido da Costa, 58 anos, encontrado morto dentro do próprio carro no domingo. Os dois são suspeitos de matar e queimar o militar. O corpo dele foi encontrado dentro de um Gol, no Bairro Enseada das Garças, na Região da Pampulha, em Belo Horizonte.

Na tarde de domingo, a companheira de Guillermino e o filho dela foram levados para prestar depoimento. O delegado Hugo e Silva, que assumiu o caso e esteve no local em que o carro foi encontrado, afirmou que duas principais linhas de investigação estavam sendo seguidas: latrocínio (roubo seguido de morte) ou crime passional. A mulher está detida Centro de Remanejamento de Presos (Ceresp) na Avenida Afonso Pena e o filho no Ceresp da Gameleira.

20/03/2011

AQUARTELAMENTO DA PM - RJ

OS POLICIAIS MILITARES DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO , JUNTAMENTE COM SUAS ESPOSAS E FILHOS, IRÃO SE AQUARTELAR 10 DIAS ANTES DA ABERTURA DA COPA DO MUNDO DE 2014.

O MOVIMENTO QUE JÁ É CHAMADO PELOS POLICIAIS DE (MOVIMENTO SEM PEC SEM COPA), TEM O OBJETIVO DE PRESSIONAR OS GOVERNANTES EM APROVAREM E PAGAREM A PEC 300.

POIS SE A MESMA NÃO FOR APROVADA ATÉ 10 DIAS ANTES DA COPA DO MUNDO, OS POLICIAIS NÃO IRÃO SAIR DOS BATALHÕES ATÉ QUE A PEC SEJA APROVADA E PAGA.

QUANTO A IDEIA DE LEVAR AS FAMÍLIAS PARA DENTRO DAS UNIDADES POLICIAIS MILITARES, É PARA EVITAR QUE AS FORÇAS ARMADAS INAVADAM OS QUARTÉIS, POIS NÃO EXISTE EM NOSSO PAÍS COMANDANTE MILITAR OU PRESIDENTE CAPAZ DE ORDENAR UMA INVAZÃO SABENDO QUE DENTRO DAS UNIDADES EXISTEM MULHERES E CRIANÇAS INOCENTES.

88% DAS PRAÇAS E 67% DOS OFICIAIS DE TODO ESTADO DO RIO DE JANEIRO, JÁ APROVAM E GARANTEM QUE IRÃO PARTICIPAR DO MOVIMENTO (SEM PEC SEM COPA), E OUTROS ESTADOS QUE IRÃO SEDIAR OS JOGOS DA COPA DO MUNDO DE 2014, JÁ ESTÃO ADERINDO O MOVIMENTO.

LEMBREM-SE QUE EM NOSSO PAÍS, NÃO EXISTE VITÓRIA SEM LUTA, E JÁ ESTÁ NA HORA DOS POLICIAIS MILITARES MOSTRAREM PARA A SOCIEDADE E PARA OS GOVERNANTES QUE NÃO SÃO "ELEFANTES AMARRADOS COM BARBANTE".

OS POLICIAIS SABEM SIM A FORÇA QUE TEM, E ESSA FORÇA SERÁ MOSTRADA PARA O MUNDO INTEIRO, DURANTE O MAIOR ESPETÁCULO DA TERRA.

AS FORÇAS ARMADAS NÃO SÃO COMPETENTES E NÃO SÃO CAPAZES DE ASSUMIREM A SEGURANÇA DE UMA COPA DO MUNDO.

LEMBREM-SE QUE NÃO SE TRATA DE UMA GREVE, POIS POLICIAIS MILITARES NÃO PODEM FAZER GREVE. MAS SE APRESENTAREM NAS UNIDADES, ASSUMIREM O SERVIÇO E SE RECUZAREM A SAIR PARA AS RUAS POR MOTIVO JUSTO, ISSO NÃO É CRIME. É DIREITO GARANTIDO PELA CONSTITUIÇÃO QUE É NOSSA LEI MAIOR.

NENHUM REGULAMENTO MILITAR PODE PASSAR POR CIMA DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL. E TER DIREITO A UM SALÁRIO DÍGNO ESTÁ NA CONSTITUIÇÃO.

SEM PEC! SEM COPA! AQUARTELAMENTO GERAL! PELA DIGNIDADE DOS POLICIAIS MILITARES DESSE PAÍS.

PARA REFLETIR: O CUSTO DA COPA DE 2014 PARA O PAÍS É DE: 5 BILHÕES DE DÓLARES.

Origem: Blog do Cabo Fernando

PEC 300 - O PISO DE 3.500 REAIS PARA PMs E BOMBEIROS FOI APALAVRADO, MAS NÃO CONSTA DE NENHUM DOCUMENTO

Ricardo Setti
Origem: Colunista Ricardo Setti - Revista Veja

Amigos desta coluna, vocês acreditam em fio de bigode – o velho, antiquíssimo símbolo da confiança na época em que os cavalheiros não precisavam de papel assinado para cumprir compromissos assumidos?

Pois bem, o provável novo piso salarial de centenas de milhares de policiais militares e bombeiros de todo o país – 3.500 reais — está dependendo de palavra empenhada, e não de documento escrito, para ser fixado, caso a Proposta de Emenda Constitucional nº 300, de 2008 – a chamada PEC-300 – for aprovada pelo Congresso.

A PEC-300, fundida a outras propostas e cuja denominação atual é, na verdade, PEC 446, de 2009, originalmente equiparava o piso salarial de PMs e bombeiros de todo o país ao que percebiam, na época, os integrantes das corporações no Distrito Federal: algo como 4.500 reais por mês (enquanto Estados como o Rio de Janeiro e o Rio Grande do Sul mal chegam aos 1.200 reais).

O piso mudou em julho passado, diante da pressão dos governadores de Estado, apavorados com o aumento de despesas decorrente da PEC, e do governo federal, que também deveria comparecer financiando um fundo destinado a implantar a medida.

A emenda que mudou o piso

Em primeiro lugar, por acordo entre o então líder do governo, deputado Cândido Vaccarezza (PT-SP), e os líderes de 8 partidos da base de apoio do governo, que possui folgada maioria na Câmara, a equiparação com o DF ficou fora da emenda – e, portanto, ficará fora do texto da Constituição.

Em segundo lugar, por meio de uma chamada “emenda aglutinativa” (veja acima reprodução do documento original, com assinaturas dos líderes de bancadas), que mistura diversas propostas e que os líderes apoiaram, ficou determinado que a remuneração de PMs e bombeiros “observará piso remuneratório definido em lei federal”, cujo projeto deveria ser enviado pelo Executivo ao Congresso (o então presidente Lula) num prazo de 180 dias.

Ou seja, o piso igual ao do DF não mais existia (e não mais existe), e o valor do piso foi jogado para uma futura lei do Congresso.

Ocorre, porém – recordou para a coluna o líder do PTB, deputado Arnaldo Faria de Sá (SP), autor da PEC original – que, na mesma reunião em que se concordou com a “emenda aglutinativa”, os líderes se comprometeram a tomar como base para o piso, na futura lei, o valor de 3.500 reais.

Só que isso não constou do documento que formalizou a “emenda aglutinativa”, assinada pelos 9 líderes e aprovada pela Câmara em primeiro turno de votação, por 349 votos a zero.

Quem se comprometeu com os 3.500 reais

Por via das dúvidas, amigos, anotem os nomes dos 9 líderes que se comprometeram a levar em conta o valor de 3.500 reais na hora de fixar o piso:

Cândido Vaccarezza (PT-SP), à época líder do governo;
Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN);
Fernando Ferro (PT-PE);
Arnaldo Faria de Sá (PTB-SP);
Daniel Almeida (PC do B-BA);
Fábio Faria (PMN-RN);
Marcondes Gadelha (PSC-PB );
Lincoln Portela (PR-MG); e
Roberto Britto (PP-BA).

As pressões para não votar o segundo turno

O segundo turno de votação na Câmara acabou não ocorrendo devido, sobretudo, ao esvaziamento do Congresso provocado pela campanha eleitoral. E, a partir de outubro, observa o deputado Faria de Sá, principalmente pela pressão dos governadores recém-eleitos, preocupados com o caixa dos Estados que iriam assumir. O governo federal, já no final do lulalato, não deixou por menos, com o então ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, dizendo que a aplicação da emenda custaria 40 bilhões de reais aos cofres públicos.

“Aquilo foi um chute total”, desdenha o deputado Faria de Sá, que se diz indignado com a atual situação de PMs e bombeiros: “O piso no Rio de Janeiro mal passa dos 1.000 reais. Com todo o respeito a todos os tipos de profissionais, mas um PM no Rio ganha 30 e poucos reais por dia, menos do que uma faxineira!”

Desde a aprovação da emenda em primeiro turno, a Presidência da Câmara tem recebido dezenas de requerimentos solicitando que a matéria seja colocada na Ordem do Dia para votação em segundo turno, como esta coluna vem registrando.

Para que qualquer projeto entre na Ordem do Dia, é preciso a aprovação do Colégio de Líderes, que se reúne toda quarta-feira, sob a presidência do presidente da Câmara, deputado Marco Maia (PT-RS).

17/03/2011

NOTA OFICIAL - CSCS DA INICIO A CAMPANHA SALARIAL 2011

Na manhã de hoje, 17/03/2011, as entidades de classe (AOPMBM, CSCS PM/BM, Aspra – PM/BM, COPM, UMMG), juntamente com deputado Sargento Rodrigues e o vereador Cabo Júlio, estiveram reunidos na sede administrativa do Centro Social dos Cabos e Soldados para tratar da campanha salarial 2011. Na oportunidade, iniciaram-se as discussões das estratégias para a elaboração das reivindicações a serem apresentadas ao governo.

As propostas serão deliberadas com a tropa, em Assembleia Geral Unificada, no dia 13/04/2011, às 14h, no ginásio coberto do Clube dos Oficiais: Rua dos Pampas, s/nº, Prado.

O objetivo do encontro será a aprovação, pelos presentes, dos valores a serem reivindicados.

Desde já as entidades de classe, o deputado Sargento Rodrigues e o vereador Cabo Júlio convocam a todos para participarem da Assembleia.

“É importante frisarmos a real necessidade da presença dos militares durante o encontro. O sucesso das reivindicações depende diretamente do apoio de um maior número possível de policiais e bombeiros. Não basta apenas a mobilização virtual. Compareça e ajude a construir a sua proposta salarial”. (AOPMBM, CSCS PM/BM, Aspra – PM/BM, COPM, UMMG, deputado Sargento Rodrigues, vereador Cabo Júlio).

Editorial do Blog do Cabo Fernando: Ai esta, o CSCS deu o pontapé inicial hoje ao promover em sua sede social o início da campanha salarial 2011. Todos pediram e estão pedindo uma posição das nossas associações, juntaram-se todas as associações, o deputado Sgt Rodrigues e o peso pesado Cabo Julio, irão confeccionar uma pauta com um determinado índíce de aumento, o qual será apresentado aos presentes no próximo dia 13/04/2011 às 14h00min. No ano passado as mesmas associações fizeram várias assembléias e sempre com a participação do público militar, no entando só houve algum número considerado de presentes, porque o CSCS trouxe alguns ônibus com militares reformados, da reserva, pensionistas e da ativa do interior, pois os militares presentes da capital dava para se contar nos dedos e o resultado todos já sabem, apenas 15% de aumento que hoje ja esta corroido pela infração. Agora novamente o CSCS na pessoa de seu presidente Cabo Coelho e os demais presidentes de associações, estão CONVOCANDO A TODOS PARA COMPARECEREM NO PRÓXIMO DIA 13/04 PARA APROVAREM OU NÃO O ÍNDICE DE AUMENTO QUE SERÁ LEVADO AO GOVERNADOR, só as associações, o vereador Cabo Julio e o deputado Sgt Rodrigues não tem força suficiente para convencer o governador a nos conceder um índice de aumento que irá realmente satisfazer aos nossos anseios, mas se no dia 13/04 a tropa se fizer presença em massa na assembléia no COPM, ai meus irmãos, o governador irá ceder sim. Mas atenção a todos, não sei qual foi o valor de índice que os presidentes das associações irão nos levar na assembléia, mas não vamos aceitar proposta menor de 45%, sei que o governo jamais dará esse índice, mas temos que pedir para mais para o governo pelo menos chegar próximo, foi assim em 1997 e poderá ser assim de novo. Portanto mais uma vez convoco a todos a levarem seus parentes, visinhos e amigos, vamos lotar o ginasio do COPM.
 
Origem Blog do Cabo Fernando

A MORTE DE UM GUERREIRO: Breve reflexão

Dr. Claudio

CLÁUDIO CASSIMIRO DIAS – CABO PM (DR CLÁUDIO)

Vemo-nos novamente diante de uma trágica morte de um companheiro de serviço. Uma pessoa que há algum tempo atrás abriu mão de sua liberdade, para salvar e proteger a vida de outras pessoas. O Soldado PM Pedro Artur Lopes Ribeiro assassinado brutalmente, no Barreiro, por marginais atrozes e inconseqüentes que simplesmente tiram a vida de um jovem, ou de um pai de família, de um trabalhador e cidadão que paga impostos e que vive dentro dos padrões morais e éticos esperados de uma pessoa de bem.

Esse policial militar é mais um dentre vários que perdem a vida de maneira estúpida e covarde.

No Cemitério Parque da Colina, muitos colegas de trabalho se consternam junto aos familiares. O choro escondido, o choro apertado, o choro de dor. Essa emoção triste e forte que nos faz desacreditar que mais um colega se vai, de maneira súbita e atroz.

Esse o cenário que presenciamos no sepultamento de um Guerreiro. E nós?

Será que perdemos nossa razão de viver? Perdemos a noção do convívio em sociedade?

O que nos preocupa é o fato dessas coisas estarem acontecendo de baixo de nosso nariz, e parece que já nos acostumamos com tal situação. Um dia é com um, outro dia é com outro, um dia com um desconhecido, um dia com um conhecido nosso. Temo que nosso dia esteja próximo.

Sabemos que os crimes sempre existiram na história da Humanidade, porem, fica claro que nos dias atuais parece tomar uma proporção que se não cuidada, tomará dimensão de um gigante incontrolável.

Já é hora de refletirmos a respeito desse mal que nos assola, ou seja, não podemos mais fingir que o crime não acontece perto da gente, sob pena de sermos a próxima vítima, ou quem sabe, nossos filhos, pais, amigos, vizinhos ou mesmo aquela pessoa que só vemos nos jornais, na página de crimes, depois que o óbvio já aconteceu.

Existe a tal confusão entre Liberdade e Libertinagem?

Onde estão nossas autoridades?

Quantos mais devem morrer para que enxerguemos que é hora de mudanças?

Bom, comentar os fatos de maneira a contagiar as pessoas do que eu chamo de “a boa febre da reflexão” parece ser um dos caminhos.

Enquanto houver caneta, escreva... Enquanto houver alguém que ouça, fale... Enquanto houver vida, vamos viver. Portanto, faça sua parte, pois nenhum de nós está livre da violência que assola nossa Sociedade.

Antes de fechar meu artigo fiquei sabendo da morte de mais um colega de serviço, o Subtenente Elson Francisco Martelo vitimado também em outra tentativa de assalto, em Contagem.

Onde estamos...?

CLAUDIO CASSIMIRO DIAS, Cabo PM, Poeta e escritor, Especialista (Latu Sensu) em Criminologia, Bacharel em Direito, Bacharel em Historia, Acadêmico Efetivo Curricular da Academia de Letras João Guimarães Rosa da Policia Militar de Minas Gerais, Cadeira 28, Ex-Diretor Jurídico do CSCS/PMBMMG, Membro da Equipe Jurídica da ASCOBOM, Conselheiro do CEPREV/MG, Pesquisador da Historia Militar e palestrante.

16/03/2011

COMANDANTE DE BATALHÃO DO INTERIOR CHAMA UMA GUARNIÇÃO, MANDA SEGURAR O SEU PRÓPRIO IRMÃO E QUEBRA O PAU NO MESMO

QUEM É SABE!!!

Um Ten Cel comandante de um determinado batalhão do interior de Minas Gerais, certo da impunidade que o cerca e usando de determinada covardia, chama uma guarnição do batalhão o qual comanda para o seu próprio irmão que se encontrava com sintomas de haver ingerido bebida alcoolica. Com a chegada da Vtr, o Cel determina que a guarnição segure o seu irmão e quebra o pau no mesmo, a vítima debate, chama o oficial de cheirador de pó, pede para os policiais o soltarem e diz para o seu irmão (oficial) o enfrentar sozinho, mas o Cmt macho men não tem dó e aproveitando que seu irmão estava bem seguro e mal se aguentava em pé, da rasteira, tapa no escutador de novelas e rabo de arraia no irmão. Agora eu só estou em duvidas quem é o mais macho nessa história, se é o coronel ou a guarnição que segurava a vítima para o todo poderoso espanca-lo, será que esses militares não sabem que ordem ilegal não se cumpre? Oh Senhor Durval Angelo, você que adora denunciar os maus policiais, porque não procura saber o nome desse oficial e o denuncia? mas cuidado que o homem manda e desmanda em seu reduto e nem o Cmt Geral tira ele de lá.

Origem: Blog do Cabo Fernando

15/03/2011

REFLEXÃO: POLICIAIS MILITARES DE HOJE E POLICIAIS MILITARES DE ONTEM.

Creio que são pouquíssimos os que saem da carreira militar sem lembranças que não os deixarão jamais, sem amizades eternas e sentindo que não são mais "POLICIAIS MILITARES".

Pois estamos, diariamente, em contato, via internet, com correspondentes insatisfeitos e que, também, amam o Brasil, mas não compreendem que, por mais que queiramos, não podemos mudar a situação atual.

Também não temos embasamento para entender que os POLICIAIS de hoje, soldados de tempos de paz talvez momentânea, sejam diferentes de POLICIAIS de ontem. Como podem ser diferentes? Não foram formados pelos soldados de ontem?

É preciso entender que o que existe é o tempo de hoje e o tempo de ontem. As circunstâncias de ontem e a situação de hoje são diferentes.

POLICIAIS foram ou deveriam ser formados para a paz e para a guerra.

A diferença entre os POLICIAIS de ontem e os de hoje é apenas uma: alguns tiveram que enfrentar a guerra; outros só a conhecem na teoria, em filmes, em livros, por meio de histórias, com um só lado da moeda.

Essa é a brutal diferença entre os POLICIAIS.

Uns são soldados da paz, nem sempre preparados adequadamente para a guerra. Outros se depararam com ela, sem que a tivessem buscado. Os seus detratores não têm dignidade para admitir que "consequências” dos "males que causaram" foi conseguir, talvez temporariamente, manter o Brasil livre de uma BANDIDAGEM sanguinária. Nesse caso é válida a diferença entre soldados de ontem e de hoje. Os de hoje, não viveram aquela época. Precisam é conhecer melhor o outro lado dessa História. Auguro que, com disciplina e responsabilidade, não lavem as mãos como Pilatos e não abandonem aos leões aqueles que, "no cumprimento do dever e de ordens de operações, fizeram o que, na circunstância, todos achavam que era o que tinha que ser feito" !

Não se vence terrorista e bandidos com palavras! Tanto foi considerada adequada a reação dos velhos soldados, que, a maioria deles foi condecorada com a maior honraria concedida em tempo de paz: a Medalha do Pacificador com Palma.

E os que perderam a vida nessa luta? E o sofrimento das famílias dos soldados de ontem que sobreviveram, muitos deles com sequelas incuráveis, que hoje os vêem linchados, enquanto os que assaltaram, sequestraram, assassinaram inocentes, praticaram atentados a bomba, são ”vendidos" ao público na imprensa, em novelas, séries, filmes e livros, como heróis? EXEMPLO TROPA DE ELITE.

Esperamos, ardentemente, que, se não for por outro motivo, que pelo menos os POLICIAIS de hoje defendam o “ESTADO DE MINAS”, ontem levado, institucionalmente, a uma guerra suja, vencendo a luta armada, mas perdendo a guerra da comunicação.

Soldados da paz! Saibam que sua tranquilidade de hoje teve um preço, para poderem ver seus filhos e netos crescerem livres, sem enfrentarem uma guerrilha e sequestros, como na Colômbia.

Tudo isso é um legado daqueles que cumpriram a sua missão, arriscaram suas vidas, não fugiram ao seu dever, não se acovardaram ante o inimigo, porque aqueles eram tempos de guerra.

Não existem POLICIAIS de hoje e POLICIAIS de ontem . Todos são Soldados da POLICIA MILITAR DE MINAS GERAIS, todos são soldados da paz. A única diferença é que uns conheceram as cruezas da guerra urbana e outros jamais a viram de perto.

EDITADO PELO ADMINISTRADOR DO BLOG

Origem: Blog Notícias da Caserna

14/03/2011

Soldado assume mortes e debocha

No dia da prisão, o soldado Jason
sorriu para os fotógrafos
O soldado Jason Ferreira Paschoalino, acusado de envolvimento nas mortes de dois moradores do aglomerado da Serra, no último dia 19, confessou ter sido ele o autor dos disparos à queima-roupa contra as vítimas. Preso há 19 dias, o soldado fez as revelações a psiquiatras e assistentes sociais da Polícia Militar que o visitam diariamente no Batalhão de Vespasiano, na região metropolitana, onde ele está detido.

Na versão que deu sobre o crime, à qual a reportagem do Super Notícia obteve acesso com exclusividade, o policial do Batalhão de Rondas Táticas Metropolitanas (Rotam) revelou uma personalidade que impressionou a equipe médica pela frieza. Disse que não se arrepende de ter matado os dois e chegou a zombar das vítimas. Nas várias horas de conversa com os especialistas, contou que entrou na Polícia Militar por diversão, "pelo prazer de matar".



Editorial do Blog do Cabo Fernando: Tudo bem, esse soldado segundo a notícia confessou o crime do Aglomerado da Serra, mas em nenhum momento ele sita os demais companheiros. Agora baseando na declaração deste soldado, então a declaração do Ten Calyton Santana no dia do fato é mentirosa e leviana, porque ele não esta preso? Ele falou na imprensa que os militares (incluindo ele) foram recebidos a tiro por elentos fardados, alguma coisa esta errado nesta notícia, ou esse soldado foi pressionado e obrigado por alguém a dar essa versão ou caso ela seja verdadeira, as declarações do Ten soa pior que o crime supostamente cometido por este soldado. Com essas declarações esta provado que não há isenção no comando geral, na corregedoria e nem na Justiça Militar, pois era para o ten também estar preso. 

Origem: Blog do cabo Fernando

Despreparadas, penitenciárias mineiras abrigam 500 psicopatas

Flores, acusado de degolar, e Trigueiro,
preso por estuprar e matar, teriam perfil
doentio


Mais perigosos que bandidos comuns, eles convivem com outros presos e são vigiados por agentes sem treinamento

Minas Gerais tem 500 presos identificados como psicopatas. Eles representam 1,25% da população carcerária do Estado, de 40 mil criminosos, distribuída por 117 unidades prisionais. São considerados pelo secretário-adjunto de Estado de Defesa Social, Genilson Ribeiro Zeferino, como os detentos mais perigosos e difíceis de lidar. Mas agentes penitenciários denunciam não receber capacitação específica para cuidar desse tipo de condenado, o que deixaria os servidores vulneráveis a maldades e manipulações.

O psiquiatra forense e criminólogo Paulo Roberto Repsold defende a melhor capacitação dos agentes e a separação dos presos comuns dos psicopatas – classificados como perigosos, impulsivos, dissimulados e antiéticos. Para o especialista, é urgente a criação de uma cadeia especial para esse tipo de interno, o que não acontece no Brasil.

13/03/2011

LEGISLATIVO - O deputado que copiava

Elismar Prado (PT) é o campeão de projetos apresentados na Assembleia. Mas o que mais chama a atenção é que a maioria das propostas foram plagiadas de colegas que não se reelegeram

Na Assembleia nada se cria, tudo se copia. Este parece ser o lema de muitos parlamentares, principalmente do novato Elismar Prado (PT), que estreou este ano no Legislativo Estadual. Recordista em apresentação de projetos, o deputado, que chegou a ameaçar dormir na porta da Assembleia para protocolar suas propostas em primeiro lugar, tem em tramitação 243 projetos de lei, o que representa até agora 41,6% de todos os 583 atualmente em andamento na Casa. Cerca de 90% deles foram copiados de parlamentares que não se reelegeram ou viraram deputados federais. Grande parte diz respeito à transformação de entidades não governamentais em instituições de utilidade pública.

Alguns desses projetos já foram decretados inconstitucionais em mais de uma legislatura, mesmo assim foram desarquivados pelo parlamentar. Outro foi apresentado duas vezes, a primeira em fevereiro, no início da legislatura, e a outra no início deste mês. Este projeto que tramita em duplicidade obriga as seguradoras a comunicarem ao Departamento de Trânsito de Minas Gerais (Detran-MG) todos os sinistros de veículos registrados no estado quando houver perda total. Antes de Elismar, este projeto já tinha sido apresentado pelos ex-deputados Fábio Avelar (PSC), Ruy Muniz (DEM) e pelos deputados Gustavo Valadares e Alencar da Silveira Júnior. Além das duas propostas idênticas de Elismar, o deputado Sargento Rodrigues também apresentou este ano projeto semelhante, copiado de Alencar da Silveira.

POLÍTICAS PÚBLICAS - MG busca recursos para defesa social

Governo vai a Brasília negociar repasse de verbas. Em 2010, dos R$ 19 milhões pedidos, estado recebeu apenas R$ 2,5 mi
          
Primeiro estado a tratar com o governo federal sobre o pacto nacional para reduzir os índices de homicídios no país, Minas Gerais ignorou a política do cobertor curto e já elabora uma lista de projetos de segurança pública para pleitear investimentos da Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp). Ano passado, a Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds) pediu R$ 19,2 milhões para custear 18 projetos e recebeu apenas R$ 2,5 milhões para cinco deles. No planejamento, havia proposta para modernizar sistemas e estruturas, adquirir equipamentos, capacitar profissionais, implantar serviço de base comunitária móvel e fortalecer ações da Guarda Municipal em Montes Claros.

Apesar da certeza de que haverá corte no orçamento, o que deve acarretar em um investimento ainda menor para 2011, a Seds começou as negociações com boas expectativas. Pouco antes do carnaval, o secretário de Defesa Social Lafayette Andrada e uma equipe técnica estiveram em Brasília para conversar com a secretária Nacional de Segurança Pública, Regina Mikki. O próximo passo é o lançamento de edital para receber os projetos dos estados interessados e avaliar as iniciativas para repassar os recursos. Até o ano passado, a Senasp oferecia seu próprio cardápio de projetos, e os estados se adequavam para receber a verba. Agora, a ideia é valorizar as peculiaridades de cada local e acompanhar a execução das verbas federais.

Gastança - Lula turbinou popularidade com recorde em propagandas

Nem só ao carisma do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) se deve a aprovação recorde de seu governo, que terminou com mais de 80% de avaliação positiva. Um levantamento feito pela reportagem nas contas da União demonstra que as despesas com publicidade na administração do petista cresceram 149,8%, em valores corrigidos pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), na comparação com o governo de Fernando Henrique Cardoso (PSDB). FHC gastou R$ 1,3 bilhão, enquanto Lula torrou R$ 3,3 bilhões.

Ao longo de seus oito anos de mandato, Lula aumentou, em média, em R$ 35,9 milhões, por ano, os gastos com publicidade e propaganda do governo federal. Durante sete dos oito anos da gestão tucana no país, Fernando Henrique incrementou as despesas em cerca R$ 4 milhões ao ano. Em 1996, ocorreu o menor gasto de FHC com publicidade: R$ 176,7 milhões. Já a menor despesa de Lula foi em 2003, no primeiro ano de mandato, quando o montante chegou aos R$ 269,4 milhões, em valores corrigidos.

12/03/2011

CASO BRUNO - Justiça pode revogar liberdade de 4 acusados

Dayanne foi fotografada ao lado das
filhas após ganhar a liberdade em
dezembro

Dayanne Rodrigues, Fernanda, Elenílson Vítor e Coxinha estão fora da prisão desde dezembro do ano passado
Após negar todos os pedidos de habeas corpus ao goleiro Bruno Fernandes, a Justiça pode revogar a liberdade de sua ex-mulher, Dayanne Rodrigues, de sua ex-namorada, Fernanda Gomes de Castro, do caseiro de seu sítio, Elenílson Vítor da Silva, e de seu amigo Wemerson Marques, o Coxinha.

Os quatro foram denunciados pelos crimes de sequestro e cárcere privado de Eliza Samudio, mãe do suposto filho do goleiro. Em um recurso de apelação, o promotor de Justiça Gustavo Fantini de Castro, que atua no Tribunal do Júri de Contagem, contesta a pronúncia dos acusados e pede que eles respondam também por homicídio e ocultação de cadáver e que sejam expostos a um júri popular. Os réus foram soltos em dezembro de 2010.

SETE LAGOAS - Polícia prende seis e apreende menor

PM apreendeu armas e drogas em
operação
Uma operação da Polícia Militar para combater o tráfico de drogas e a criminalidade terminou com a prisão de seis pessoas e na apreensão de um adolescente de 14 anos. Todos foram flagrados com armas, munições e drogas, em vários bairros de Sete Lagoas, na região metropolitana de Belo Horizonte.

No bairro Vapabuçu, David Ribeiro da Silva, de 20 anos, foi flagrado em casa com um tablete de maconha, um revólver calibre 32 e dois cartuchos. Outros dois revólveres do mesmo calibre foram localizados com dois suspeitos no bairro Belo Vale ll.

Flamarion Pereira da Silva da Cruz, de 28 anos, e Marcos de Oliveira Costa, de 19, foram presos em um bar. Com eles, a polícia também encontrou três munições e uma porção de cocaína.